Nos últimos anos, muitas inovações e tecnologias têm sido aperfeiçoadas para colaborar com a qualidade de vida e o desenvolvimento de crianças com autismo.

Hoje falaremos um pouco sobre esses recursos tecnológicos e como eles têm sido essenciais para o aprendizado dos pequenos.

O que é o autismo?

O autismo é um dos transtornos que fazem parte do Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). Esse quadro engloba diversas condições que têm características em comum: dificuldade de comunicação e socialização; comportamentos restritivos e repetitivos.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divide o TEA em três tipos, sendo determinados de acordo com o quadro clínico. São eles:

  • Autismo Clássico: os indivíduos são normalmente voltados para si. Costumam não estabelecer contato visual. São capazes de falar, mas usam a linguagem somente como um meio de comunicação;
  • Asperger: apresentam as mesmas características das pessoas com autismo clássico, mas numa intensidade bem reduzida. Quando não há grandes dificuldades de interação social, eles costumam levar uma vida próxima ao normal;
  • Distúrbio global do desenvolvimento sem outra especificação (DGD-SOE): os indivíduos estão dentro do espectro do autismo, mas o diagnóstico exato é difícil, pois os sintomas costumam não ser suficientes para defini-los dentro de uma das categorias anteriores.

O diagnóstico exato é necessariamente clínico, levando sempre em consideração os sinais e sintomas, e precisa ser feito por um profissional.

Quais são as principais dificuldades enfrentadas por crianças
com autismo no processo de aprendizagem?

Crianças autistas, independente de onde se encaixem dentro do TEA, costumam sentir dificuldade na aprendizagem. Suas principais barreiras durante a aprendizagem costumam  aparecer na interação social, habilidades motoras e aquisição e desenvolvimento da linguagem.

Diante disso, a tecnologia vem buscando contribuir e ajudar a ultrapassar essas barreiras. É possível constatar esses avanços graças ao número crescente de softwares e apps que existem com essa finalidade.

Como a tecnologia pode ser benéfica para o aprendizado de crianças com autismo?

Os softwares e apps são capazes de ajudar na rotina de crianças que têm autismo, auxiliando-as a desenvolver:

  • Interação social;
  • Entendimento de linguagem não verbal;
  • Alfabetização;
  • Elevação da motivação e do interesse por atividades pedagógicas;
  • Entendimento de rotinas e regras;
  • Percepção do tempo e do espaço;
  • Proteção de sons ou estímulos visuais indesejados.

Portanto, os benefícios são enormes, visto que proporcionam não somente o suporte pedagógico, mas também o desenvolvimento social das crianças com autismo.

Autismo e robótica

A contribuição da tecnologia para o desenvolvimento de crianças com autismo não se restringe somente aos softwares e aplicativos. A robótica também tem feito uma participação especial.

Das principais inovações utilizadas, o robô francês NAO ganha destaque. Trata-se de robô humanoide de 57 centímetros de altura, que possui duas câmeras, quatro microfones, dois alto-falantes e sensores espalhados pelo corpo. Ele é capaz de reconhecer comandos de voz e gestos.

O NAO auxilia no aprendizado de robótica, matemática, ciências da natureza, linguagens e outras disciplinas. Além disso, contribui com o processo de socialização de crianças com autismo, ajudando-as a desenvolver a interação social.

Se você curtiu esse conteúdo, não deixe de visitar o Instagram da Robô Ciência! Lá você encontra várias outras curiosidades, informações e notícias especiais sobre tecnologia!