Texto de Aysllane Junie Pessoa da Cunha — Pedagoga, Mestranda em Educação e Diretora Pedagógica da Robô Ciência.


Os desafios de inovar permeiam a sociedade em muitos âmbitos, seja na indústria quando pensamos em pioneiros como Nikola Tesla e Thomas Edison na busca pelo domínio da energia elétrica ou até mesmo em um contexto da atualidade destacando a Uber, através do transporte privado urbano, ou o iFood, para a entrega de alimentos. Essa necessidade de mudança e transformação advém de exigências que a sociedade apresenta e constrói ao longo das renovações culturais e sociais.

Esses aspectos têm grande semelhança ao contexto que vivenciamos hoje com a chegada do Covid-19, que trouxe consigo mudanças impactantes na rotina de pessoas a nível mundial. Pensar a educação em meio ao contexto atual é projetar um futuro que se constrói hoje, a partir da ânsia de não romper com os aprendizados pedagógicos e científicos.

A Lei 9394/96 LDB (Lei de Diretrizes e Bases) traz a Educação a Distância como modalidade educacional na qual o processo didático-pedagógico junto ao ensino e aprendizagem deve acontecer por meio de recursos e meios tecnológicos ou de comunicação para que estudantes e professores de todas as modalidades possam dar continuidade ao ensino também em situações emergenciais. Apesar das inúmeras dificuldades enfrentadas por questões de acesso, estrutura, desigualdades e limitações, essas medidas visam respaldar os direitos de crianças e adolescentes à educação, na busca por amenizar os prejuízos diante do isolamento social da suspensão de aulas presenciais.

Com isso, pensar na relação de parceria entre escolas e famílias tomou proporções ainda mais significativas, através da extensão dos laços afetivos e pedagógicos, professores e professoras têm ganhado espaço dentro dos lares e rotinas de cada família. O processo mediativo dos conhecimentos, que antes em muitos casos era unicamente dos educadores, passou também a ser de forma mais incisiva das famílias.

A alfabetização digital de educadores, famílias e alunos nunca foi tão necessária. A imersão e domínio de diferentes ferramentas (jogos, simuladores, etc.) que somam aos conteúdos tradicionais tornaram-se aliadas indispensáveis para uma aprendizagem significativa, que possa romper com dificuldades provocadas pelo distanciamento social.

E, para construir um aprendizado mais efetivo, podemos levantar importantes aspetos que merecem atenção diante do ensinar e educar, como o essencial exercício do dialogo entre esses eixos família/escola na formação de todo sujeito, no intuito de compreender as necessidades individuais de cada educando. Assim como os feedbacks que consistem em retornos, sejam eles positivos ou até críticas construtivas, para que o educador possa repensar suas orientações teóricas e práticas, na busca de um alcance cada vez mais amplo.

Contudo, a contribuição familiar pode ser ainda mais extensa. É preciso pensar no momento dedicado ao aprendizado, com luminosidade adequada, limitar possíveis distrações, construir com os filhos a proximidade, abertura aos estímulos e questionamentos diante do que foi trabalhado em cada aula.

O tempo de cada sujeito é, portanto, um desafio. Para nós, educadores, esse desafio caminha junto às teorias de aprendizagem, aprofundamento metodológico e didático, além da busca incessante por ferramentas que despertem cada vez mais o interesse e o apreço do alunado. Aos familiares, é preciso que exista espera, compreensão, afeto e persistência.

Paulo Freire, uma importante referência na Educação, diz que: “Educar é um ato de amor e coragem, portanto, apesar da dificuldade que é estarmos imersos nos desafios do cotidiano que a pandemia nos coloca, é preciso que nós continuemos de mãos dadas, mesmo que virtualmente. Buscando a construção de aprendizados e conhecimentos, almejando a retomada calorosa das aulas presenciais em um lugar que dispensa comparativos. Onde tantas memórias se eternizam carinhosamente. Onde os sonhos são projetados. Onde a doçura do abraço da chegada e da saída está sempre presente. A escola.

Sobre o(a) autor(a): Robô Ciência

Compartilhe

Deixar um comentário

Artigos relacionados

Voltar para artigos